Vereadores visitam estação de tratamento da Casan

Preocupados com a possibilidade de desabastecimento, parlamentares estiveram na ETA na última semana. De acordo com a gerência da autarquia, não há risco de falta d’água

PORTO BELO – Diante de relatos de falta de água em municípios da região neste início de temporada, a Câmara Municipal resolveu verificar a situação da Estação de Tratamento de Água (ETA) que abastece o município. Acompanhados pelo gerente local da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), Neri Antônio Bueno, os vereadores Jonas Amadeu Raulino e Célio Roberto Ramos (MDB) visitaram na última quinta-feira (09) a instalação que faz a captação da água do rio Perequê, na localidade do Sertão de Santa Luzia.

De acordo com a engenheira sanitarista Vanessa dos Santos, coordenadora da ETA, o consumo na cidade praticamente dobrou entre a última semana de 2019 e a primeira de 2020: foi de 80 litros por segundo para 150 l/s. Apesar disso, Neri afirma que em nenhum dia as torneiras ficaram secas. Segundo ele, no decorrer do último ano foram realizadas obras nas lagoas que servem de reservatório, ampliando sua capacidade em 20%. Está prevista uma nova ampliação para este ano, na ordem de 40%. Mesmo que não ocorra, o gerente assegura que o fornecimento para os próximos meses está garantido.

Embora não tenha faltado água, houve reclamações, por conta da cor escura do líquido que verteu de algumas torneiras. Gabriel Tortato, técnico de saneamento da ETA, explica que o problema foi ocasionado pelo aumento da pressão nas tubulações, que retirou parte da película que reveste o interior do encanamento nos pontos extremos da rede. A orientação da Casan é que o consumidor informe o fato à agência local pelo fone 3369.4447, para que os técnicos da autarquia procedam a manutenção.

Ao final da visita, durante a qual foram informados do funcionamento da estação e puderam conferir o nível dos reservatórios (em estado de capacidade quase máximo, segundo Gabriel), os vereadores ficaram satisfeitos com o que viram. “Ao que parece, está tudo bem”, observou Célio. “A gente estava preocupado, devido ao que a gente viu nas outras cidades. Por isso, resolvemos fazer essa visita. Mas vimos que está tudo tranquilo”, concluiu Jonas.

ALCIDES MAFRA/ASSESSORIA CÂMARA PB